Felipe Araújo grava no Rio de Janeiro DVD cheio de simbologias

Felipe Araújo grava no Rio de Janeiro DVD cheio de simbologias

Com produção de Emmanoel Camargo, o cantor Felipe Araújo iniciou ontem (04) as gravações do seu segundo DVD, tendo como cenário o Youtube Space, na capital carioca, território propício para gravações profissionais de vídeos produzidos por usuários do YouTube. No primeiro dia de filmagem, ele contou com as participações mais do que especiais, em faixas distintas, de Léo Santana e Ferrugem.

A escolha pelo Rio de Janeiro traz uma simbologia especial, por isso a divisão do registro em quatro cenários. O primeiro traz um fundo em que a topografia da cidade ganha traços de giz fazendo alusão à beleza do local, da natureza, e do Cristo Redentor abrindo os braços para o sertanejo. No segundo, um palco aberto com o mar e o Museu do Amanhã ao fundo, exibe uma linha high tech do cartão postal em que os dois morros – o da Urca e o Pão de Açúcar – lembram o M de música e a forma côncova que o som insinua. É a poesia ganhando forma na paisagem que se faz presente.

Já o segundo dia de gravação traz, em um dos estúdios do mesmo YouTube Space, o universo da Lapa e a sua boemia. Tudo isso em comparação ao toque sertanejo boêmio tão presente no celeiro musical de Goiânia e nos bares da velha e dançante Lapa. Para encerrar, no quarto cenário, a The Week cede o seu espaço para uma balada sertaneja. É aí que a concepção do DVD se entrega à proposta do local: a diversidade de gêneros, bandeira que se levanta no século da igualdade, fazendo assim uma analogia à característica mais forte do sertanejo, que reúne todos os gêneros deste democrático país musical. É funk com viola que se fala? É samba e pagode com sertanejo, axé e pop com moda “xonada”… Enfim, a variedade de gêneros a que o novo mundo se rende em tons e sons.

“É nesse contexto que o meu novo DVD buscou as quatro locações distintas dentro do YouTube Space e na The Week, para ser dividido em quatro partes, cada uma com sua peculiaridade e cor, dentro de um mesmo produto e com a simbologia que a música sertaneja representa”, afirma Felipe Araújo.

Fonte: curitibacult

2018-07-10T16:42:21+00:00

Deixe seu comentário